junho 22, 2024

CAPS é um símbolo da luta antimanicomial, destaca coordenadora das unidades

 CAPS é um símbolo da luta antimanicomial, destaca coordenadora das unidades

CAPS foi criado em 2002 em substituição aos hospitais psiquiátricos

Nesta quinta-feira (18) é celebrado o Dia Nacional da Luta Antimanicomial. O movimento possibilitou o surgimento dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPSs), nos quais os pacientes em sofrimento psíquico deixaram de ser excluídos do convívio em sociedade e passaram a receber tratamento humanizado, com foco no respeito, integração e dignidade.

Segundo a coordenadora da Rede Municipal de Saúde Mental, Regicelia Silva, o movimento é necessário para desmistificar ideias baseadas em preconceitos. “O principal objetivo é desfazer o isolamento social do paciente, em que ele é tratado como louco, como alguém que não está apto para conviver em sociedade ou para ter uma vida comum”, destacou.

Para a coordenadora, o CAPS, criado em 2002 pelo Ministério da Saúde, em substituição aos hospitais psiquiátricos, é um símbolo da luta antimanicomial. “Nas unidades CAPSs, a gente cuida da pessoa como um todo, não entramos apenas com a parte dos remédios. Temos uma equipe multidisciplinar para fazer com que esse indivíduo melhore psiquicamente, mentalmente e fisicamente e possa retomar a sua vida à normalidade”, explicou.

Em Feira, os CAPSs prestam suporte especializado a mais de 42 mil pessoas que apresentam diferentes transtornos mentais, como ansiedade, depressão e de comportamento pelo uso de substâncias psicoativas (álcool e drogas).

O atendimento é realizado por uma equipe formada por diversos profissionais, entre eles psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, fonoaudiólogos, psiquiatras, educador físico, psicopedagoga, enfermeiros e musicoterapeuta.

Secom

Whatsapp
Olá
Olá, podemos ajudar?