junho 22, 2024

Equipe de Neurocirurgia do Hospital Clériston Andrade realiza procedimento inédito na Bahia em paciente com Aneurisma Cerebral

 Equipe de Neurocirurgia do Hospital Clériston Andrade realiza procedimento inédito na Bahia em paciente com Aneurisma Cerebral

A equipe de neurocirurgia do Hospital Clériston Andrade (HGCA), liderada pelo neurocirurgião Márcio Brandão, realizou uma técnica inédita na Bahia para tratamento de um Aneurisma Cerebral. O Aneurisma Cerebral Roto trata-se de uma condição potencialmente fatal em que ocorre o rompimento de uma artéria do cérebro, levando o paciente a uma hemorragia intracraniana, necessitando de uma intervenção imediata. O procedimento realizado no HGCA trata-se de uma intervenção inédita, ou seja, pioneira na Bahia tanto em hospitais públicos ou privados, chama-se Angiografia Intraoperatória. As estatísticas norte-americanas indicam que a ruptura de um aneurisma tem um alto índice de mortalidade e sequelas. Com a incorporação da nova tecnologia, a cirurgia torna-se menos arriscada, trazendo esperança para a melhora do prognóstico dos pacientes com essa intervenção complexa e vital.

De acordo com Dr. Marcio Brandão, os principais desafios residiam na disponibilidade do equipamento especializado, um módulo de alto custo acoplado ao microscópio, estimado em 400 mil reais, e na falta de equipes treinadas para esse tipo de cirurgia em hospitais que possuíam o recurso. “O procedimento consiste na injeção de contraste especial durante uma cirurgia para visualizar as artérias, pois no momento em que o médico fecha o aneurisma que sangrou e coloca um clipe de metal, há o risco de o clipe fechar um vaso sanguíneo importante para o cérebro, o que pode ser detectado apenas no pós-operatório, causando lesões. Com essa técnica inédita, a equipe pode observar em tempo real a vascularização em torno do aneurisma e ajustar a posição do clipe para evitar danos”, explicou o médico.

Dr. Allan França, neurocirurgião que participou do procedimento, informou que a cirurgia foi realizada em uma paciente de 42 anos, moradora de Feira de Santana, com um quadro grave de Hemorragia Subaracnoide (HSA). A mesma permanece com acompanhamentos médicos, em bom estado geral, lúcida, com boa recuperação, o que ilustra uma reversão muito positiva de um caso grave de ruptura de aneurisma cerebral. “Com o avanço tecnológico, a intervenção tem os níveis de complicação reduzidos, com ótima probabilidade de recuperação, evitando efeitos potencialmente danosos ao cérebro”, pontuou o neurocirurgião.

A equipe de neurocirurgia comemorou os resultados do procedimento e benefícios da nova técnica, especialmente na redução do risco de complicações associadas à cirurgia de aneurisma cerebral. “A ruptura de um aneurisma é uma condição grave, frequentemente com alta taxa de mortalidade. Com a introdução da nova técnica, o risco adicional de danos causados pelo procedimento é minimizado. Após o sucesso da cirurgia pioneira, nosso planejamento é adotar a técnica como parte rotineira de intervenções em casos de aneurisma. A experiência e os resultados positivos servirão de estímulo para outros neurocirurgiões. Isso tem o potencial de melhorar os resultados das cirurgias de aneurisma em toda a Bahia”, comemorou Dr. Márcio.

Fonte: ASCOM/HGCA

Whatsapp
Olá
Olá, podemos ajudar?