Ministério da Saúde tem plano de gastar R$ 250 mi para pôr ‘kit-covid’ em farmácias populares

 Ministério da Saúde tem plano de gastar R$ 250 mi para pôr ‘kit-covid’ em farmácias populares
Compartilhe

Cerca de R$ 250 milhões serão gastos pelo Ministério da Saúde na aquisição do “kit Covid”, com hidroxicloroquina e azitromicina, para disponibilizar os medicamrntos no programa Farmácia Popular. 

O plano de investimento de tal recurso por parte da pasta acontece mesmo com mais de 2,5 milhões de comprimidos de hidroxicloroquina estocados pelo governo federal. As informações são do Estadão.   

De acordo com a reportagem, a ideia do Ministério da Saúde é de  reembolsar farmácias conveniadas para que distribuam de graça os produtos que compõem o chamado “kit Covid”.

O presidente da República Jair Bolsonaro é um defensor do uso dos medicamentos no tratemtno da Covid-19, mesmo que não haja comprovação científica da eficácia deles. 

Agora, a ideia é usar dinheiro público para distribuir gratuitamente em farmácias, destaca o Estadão.

Os milhões de comprimidos de hidroxicloroquina armazenados pelo governo seguem sem destinação. Eles não serão usados no kit que poderá passar a ser distribuído gratuitamente.

A reportagem do Estadão faz ainda uma comparação: com o valor que será gasto pelo governo Bolsonaro para distribuir o “kit-covid” seria possível ao governo comprar 13,18 milhões de doses da vacina produzida pela Universidade de Oxford e pelo laboratório AstraZeneca, ao preço de R$ 18,95 por unidade, suficiente para imunizar quase 7 milhões de pessoas. 

Revelado pelo Estadão em setembro, o estudo para inserir o medicamento no Farmácia Popular corre em sigilo no ministério desde o começo de julho. Nesta semana, a proposta recebeu aval da área jurídica e chegou às mãos do ministro Eduardo Pazuello.

* Todos os comentários são de responsabilidade dos seus autores