Estudo aponta que vacinas agem contra covid grave mesmo com nova variante

 Estudo aponta que vacinas agem contra covid grave mesmo com nova variante
Compartilhe

Uma pesquisa realizada por cientistas sul-africanos apontou que, mesmo com a variante Ômicron, as vacinas já existentes contra a covid-19 evitam os sintomas graves da doença e consequentes hospitalizações. Segundo os cientistas, o período de incubação do vírus ainda não foi descoberto, mas mantém-se uma média de cinco dias.

“A genética da Ômicron é completamente diferente da variante Delta ou das variantes anteriores”, afirmou Richard Lessels, especialista em doenças infectocontagiosas. “Estamos preocupados não tanto com o número de mutações, mas onde elas estão concentradas, porque muitas delas o fazem no pico da proteína e, especificamente, em partes-chave que são importantes para ter acesso às nossas células. Não sabemos se os anticorpos são capazes de lidar com elas.”

No entanto, o especialista garantiu que “as vacinas são a ferramenta que pode evitar a doença grave e a hospitalização”, já que os casos relatados da variante em pessoas imunizadas não apresentaram sintomas fortes e, até o momento, não houve o registro de óbitos. Outros estudos devem ser realizados ao longo das próximas semanas, pois os cientistas já consideram o início de uma nova onda da pandemia, que pode ser concentrada na transmissibilidade do vírus e no efeito da imunidade que as vacinas proporcionam.

Fonte SBT News Agência Brasil

* Todos os comentários são de responsabilidade dos seus autores