Em última fase de testes, Sputnik V mostra eficácia de 91,4% contra Covid, diz instituto

 Em última fase de testes, Sputnik V mostra eficácia de 91,4% contra Covid, diz instituto
Compartilhe

A vacina russa candidata contra a Covid-19 mostrou 91,4% de eficácia, apontam os dados finais de fase 3 dos ensaios clínicos. Foi o que anunciou nesta segunda-feira (14) o laboratório Gamaleya, responsável pela produção do imunizante.

De acordo com o jornal o Globo, o vice-diretor do instituto, Denis Logunov, destacou que nenhum dos voluntários do estudo desenvolveu a forma grave da doença após a aplicação da vacina. Os dados do estudo não foram publicados em revista científica, tampouco revisado por pares. Entretanto, Logunov destaca que isso deve ocorrer em breve.

Ao todo, 22.714 pessoas participaram dos testes. Dessas, 78 foram diagnosticadas com a Covid-19, mas 62 eram do grupo de controle, que recebeu um placebo ao invés da vacina.

A Rússia já iniciou a campanha de vacinação contra a Covid-19 com a Sputnik V. Cerca de 200 mil pessoas receberam o imunizante no país, que atualmente sofre com uma segunda onda da doença. Por lá, já foram contabilizadas 2,6 milhões de infecções.

Vale lembrar que a Bahia é um dos estados estados brasileiros possuem acordos com o Instituto Gamaleya para a obtenção da Sputnik V. O outro é o Paraná. Contudo, ainda não houve pedido formal de registro emergencial ou de autorização para testes junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Os desenvolvedores da Sputnik V trabalharam ela a partir de dois tipos de adenovírus, que é responsável por causar resfriados, encontrados em humanos. O método é semelhante ao da farmacêutica AstraZeneca, que possui parceria com a Universidade de Oxford. Ambos os institutos afirmaram que começarão a trabalhar juntos para combinar os dois imunizantes. 

* Todos os comentários são de responsabilidade dos seus autores