Miliciano suspeito de envolvimento na morte de contraventor do RJ é preso na Bahia

 Miliciano suspeito de envolvimento na morte de contraventor do RJ é preso na Bahia

Um miliciano suspeito de envolvimento na morte do contraventor Fernando Iggnácio de Miranda, no dia 10 de novembro de 2020, no Rio de Janeiro, foi capturado na tarde dessa terça-feira (12), na Bahia. Uma ação conjunta das polícias Civil e Militar dos dois estados o encontraram em uma pousada na cidade de Canavieiras, no Sul baiano.

Através de ações de inteligência e de uma ligação anônima para o Centro Integrado de Comunicações (Cicom), equipes da 6ª (Itabuna) e 7ª (Ilhéus) Coordenadorias Regionais de Polícia do Interior (Coorpins) e da 71ª CIPM localizaram o foragido da Justiça. Um outro homem encontrado com o miliciano também foi detido. 

“Trabalhamos em parceria com as forças de segurança dos outros estados, visando sempre o combate ao crime organizado. As equipes de Ilhéus e Itabuna, com apoio da PM, vão apurar se o miliciano só se escondia na Bahia ou se praticava algum tipo de crime”, disse o diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), delegado Flávio Góis. 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), os dois foram encaminhados para a sede da 7ª Coorpin, em Ilhéus, onde o miliciano foi identificado e o mandado de prisão cumprido. Após exames, no Departamento de Polícia Técnica (DPT), ele ficará à disposição da polícia fluminense.

MILICIANOS NA BAHIA

Na semana passada, um outro miliciano do Rio de Janeiro foi capturado na Bahia. O foragido da Justiça foi interceptado em Aurelino Leal e, segundo a SSP-BA, entrou em confronto com a PM, sendo morto no local.

Além dele, há 11 meses, o miliciano Adriano da Nóbrega também foi morto em confronto com a PM baiana. O caso ocorreu na cidade de Esplanada, onde ele se escondia. O criminoso, envolvido no caso das rachadinhas do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e também citado nas investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), estava foragido há cerca de um ano.

Subaé Noticias