Bolsonaro autorizou diálogo de auxiliares com STF após ser convencido de autocrítica

 Bolsonaro autorizou diálogo de auxiliares com STF após ser convencido de autocrítica

As conversas de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) ocorreram depois que ele foi convencido da necessidade de fazer uma autocrítica e agir de forma diferente – até então, o presidente proferia ataques aos outros Poderes, inclusive participando de atos com pautas antidemocráticas.

Segundo informações da coluna Painel, da Folha de S. Paulo, a ideia era que Bolsonaro não esperasse atitude dos outros, sendo o primeiro a levantar a bandeira branca. E assim foi feito. O presidente autorizou três ministros a abrirem diálogo com magistrados, assumindo uma nova postura, cordial. Políticos e integrantes do Judiciário acreditam que o inquérito das fake news, que atingiu bolsonaristas, foi determinante para essa mudança.

De acordo com a publicação, os enviados foram os ministros da Justiça, André Mendonça, da Secretaria-Geral, Jorge de Oliveira, e da Advocacia-Geral da União, José Levi do Amaral. Eles se reuniram com o presidente da Corte, Dias Toffoli, com o relator dos inquéritos das fake news e contra atos antidemocráticos, Alexandre de Moraes, e com o ministro Gilmar Mendes. O trio também pretende conversar com o novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso.