Questionado pela imprensa nesta sexta-feira (29), o presidente Jair Bolsonaro defendeu a manutenção de Sérgio Nascimento de Camargo como presidente da Fundação Cultural Palmares, mesmo após as declarações controversas feitas por ele. Nomeado na quarta-feira (27), Camargo negou a existência do racismo e afirmou que a escravidão foi “benéfica para os descendentes”.


“O secretário [da Cultura] é um tal de Roberto Alvim, dei carta branca para ele. A cultura nossa tem que estar de acordo com a maioria da população brasileira, não de acordo com a minoria”, disse Bolsonaro, sustentando o alinhamento do titular da Fundação Palmares e do secretário da Cultura com seu projeto de governo. “Ponto final. Ele [Alvim] que decide. Não vou entrar em detalhes. Tenho um despacho semanal com ele, só vou responder alguma coisa depois de ouvi-lo”, declarou o presidente. 

No Banner to display

DEIXE UMA RESPOSTA