Ex-presidente da República, o senador Fernando Collor (PTC-AL) disse que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pode sofrer um processo de impeachment, assim como aconteceu com ele em 1992, quando foi deposto do cargo. As declarações foram dadas à revista Veja.“Estou revendo um filme que a gente já viu”, disse. Ele classificou os erros do chefe de Estado como “primários”. “Continuando do jeito que está, não vejo como este governo possa dar certo. São erros primários. Bolsonaro esteve na Câmara por 28 anos, viu como se forma um movimento numa casa em que o chefe do Executivo não dispõe de maioria”, opinou.

Collor comparou o tratamento de Bolsonaro ao PSL ao dele com o PRN à época. “Vejo semelhança entre o tratamento que eu concedi ao PRN e o que ele está conferindo ao PSL. Em outubro de 1990, nós elegemos 41 deputados. O pessoal queria espaço no governo, o que é natural. Num almoço com a bancada, eu disse: ‘Vocês não precisam de ministério nenhum. Já têm o presidente da República’. Erro crasso. […] Logo no início, ele tinha que ter dado prioridade aos 53 deputados do PSL. E, a partir desse núcleo, construído a maioria para governar. Ele perdeu esse momento. Agora reúne a bancada para dizer que vai sair do partido? Erro crasso”, avaliou.

No Banner to display

DEIXE UMA RESPOSTA